sexta-feira, 28 de agosto de 2009

¿ Quien soy ? Mira en tú corazón




Hoje foi que recebi um carinhoso presente de aniversário, que estava prometido desde o dia 01 de julho de 2009.
Sim, ganhei o livro que tem esta capa daí de cima.

Quem me deu ousou pedir ao autor uma dedicatória que falasse ao peregrino que aqui está, em busca da busca, de coração aberto.
Daí, Manoel escreveu:

"Ao Bernardo. Acreditando que a felicidade não é um lugar, mas um caminho. É no caminho que a gente se encontra.
Ânimo. - O Autor"

Acontece que o livro veio com uma camiseta. E, nela, escrito em vermelho:

¿ Quien soy ? Mira en tú corazón

Quando li os dizeres da camiseta, um sopro, uma música, um sonho, uma bomba, uma luz...

ANĬMUS. Ânimo = Alma: o que move; o próprio caminho.

Foi assim que veio o mote. Assim vi no espelho a minha alma. A alma da viagem.

O tempo da gente é uma coisa engraçada, não? Meu amigo, Ramiro, me convidou pra fazer essa viagem no reveillon, em Arraial d'Ajuda. Hoje foi quando me veio a resposta...


Bê.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

20km na cidade

video
Ontem caminhamos novamente. Eu e Ramiro demos a volta da Contorno, em BH. Isso, mais a avenida que chega até a Contorno, quis dizer 20 km.
Me serviu pra, em primeiro lugar, concluir que não é com esta bota que vou fazer o percurso. Em segundo lugar, pra ver que o espírito peregrino não nos espera em Santiago. No meio do tobogã da contorno, duas pouca-prática no volante estavam no MEIO da avenida com mil carros em volta, precisando de apoio, de ajuda, enfim.
Pelo vídeo dá pra ver... Eu e Ramiro acompanhamos as moças até o Life Center - uma delas ia fazer uma cirurgia no pé e estava atrasada. A outra que tinha carro mas nenhuma prática resolveu levá-la... Mas na subida da contorno... nem fazer controle de embreagem ela não fez...
O que importa é que, independentemente do meu nervosismo em querer ajudar, Ramiro me passou um sabão porque eu não fui delicado o suficiente com as duas no ato da ajuda. Medi as competências, fui intolerante com os erros, radical com os processos. E mesmo que isso de certo modo tenha evitado a batida - que quase aconteceu - ele achou por bem me chamar a atenção...
Foi bom ouvir dele: você tem que pensar um pouco mais no espírito peregrino... Tudo que as duas estavam precisando era se sentirem acolhidas... e você acabou ralhando com elas por não saberem dirigir ou estarem fazendo as coisas erradas na hora do pânico...
Bem... eu posso me justificar, e tem justificativa. Mas prefiro ficar com essa lição torta. Foi boa como lembrete.
Ah, comprei outra bota. Vamo que vamo!!! Bê.